sexta-feira, 29 de abril de 2011

RECEITA PARA ELIMINAR MANCHAS DA ALMA

Ingredientes:
1 litro de ternura
1 litro de óleo concentrado de paciência
1 quilo de perdão em pó
1 litro de essência de amizade
2 litros de bom-humor
3 litros de extrato concentrado de solidariedade humana
1 litro de esperança
2 litros de tolerância
5 pitadas de sorrisos espontâneos
2 litros de essência de amor
1 folha de papel de carinho do seu tamanho.

Modo de Fazer:

Misture o amor, o perdão e os sorrisos espontâneos, no caldeirão que se encontra no fundinho do seu coração.
Passe os outros ingredientes por uma peneira bem grossa e adicione-os aos do caldeirão.

Leve o caldeirão ao fogo alto da sua bondade, mexendo sempre, até alcançar o ponto de pasta cremosa.
Deixe a pasta esfriar, até ficar morninha.

Abra a folha de papel de carinho e besunte-a com a pasta.
Deite-se sobre a folha de papel de carinho e enrole-se nela.
Suspire bastante, profundamente.
Relaxe. Pense em momentos alegres que fizeram com
que você risse sonoramente.
Pense naqueles outros que fizeram com que você se
enchesse de ternura.

Sinta o gosto de mel de abelhas simpáticas.
Sinta o perfume das flores que você acha bem bonitas.
Sinta a temperatura de uma noite de verão estrelada.
Ouça a música alegre do rouxinol encantado.
Mantenha o seu coração pleno de emoções boas.
Aguarde mais ou menos meia-hora, até que a pasta
cremosa e a folha de papel de
carinho tenham sido completamente absorvidas.

Resultado:

Depois de mais ou menos meia hora você perceberá que
todas aquelas manchinhas
que a aborreciam em relação ao próximo, ao bem-conviver
terão desaparecido.
Caso uma ou outra persista, repita a receita e elas cederão, desaparecendo por completo.
Siga corretamente a receita, com certeza você obterá os melhores resultados.
Um lindo dia para todos!
Recebido por e-mail


terça-feira, 26 de abril de 2011

EXEMPLO EDIFICANTE

A médica suíça Elisabeth Kübler-Ross, que ficou conhecida no mundo por seu trabalho junto aos doentes terminais e por escrever a respeito da morte e o morrer, também exemplificou lições ricas de vida.
Ela narra em sua biografia que decidiu comprar uma fazenda de trezentos acres, numa região rural do Estado da Virgínia.
A vida simples da fazenda a apaixonou. Acordava com uma sinfonia de vozes de vacas, cavalos, galinhas, porcos, burros, lhamas...
Os campos se desdobravam até onde sua vista podia alcançar, cintilando sob o orvalho fresco da manhã.
Árvores amigas ofereciam sua sabedoria silenciosa.
Suas mãos tocavam a terra, a água, o sol. Trabalhavam com a matéria-prima da vida.
Porque ela anunciasse que iria adotar bebês contaminados pela AIDS, começou a sofrer perseguições dos vizinhos.
Em 1994, ela estava para tomar um avião quando uma amiga veio correndo ao seu encontro, no aeroporto. Haviam colocado fogo em sua casa.
Queimou inteira e foi considerada perda total.
Queimaram os diários que seu pai escrevera sobre a infância dela, os seus papéis e pesquisas com pacientes, sua coleção de arte nativa norte-americana, fotografias, roupas... Tudo.
Mas ela não desanimou. Pelo contrário, escreveu: As adversidades somente nos tornam mais fortes.
Viver é como ir para a escola. Dão a você muitas lições para estudar. Quanto mais você aprende, mais difíceis ficam as lições.
Aquela experiência foi uma dessas lições. Já que não adiantava negar a perda, eu a aceitei.
De qualquer forma, era só um monte de coisas. Eu estava ilesa. Meus dois filhos crescidos estavam vivos.
Algumas pessoas tinham conseguido queimar a minha casa com tudo o que estava dentro, mas não tinham conseguido me destruir.
Quando aprendemos as lições, a dor se vai. Aprendi que não há alegrias sem dificuldades. Como gosto de dizer: "Se protegêssemos os Canyons dos vendavais, nunca saberíamos a beleza de seus relevos."
Confesso que aquela noite de outubro foi uma dessas ocasiões em que é difícil encontrar beleza.
Como acredito que o único propósito de nossa existência é crescer, fiz minha escolha.
Alguns dias depois, dirigi-me à cidade, comprei uma muda de roupas e me preparei para o que viria em seguida.

* * *

Nunca é tarde demais para recomeçar a vida ou retomar um empreendimento.
Por mais profunda que nos pareça a queda ou por mais duro que nos pareça o infortúnio, hoje pode ser o ponto de retorno e de elevação a um pico mais acima. A um voo mais alto.
Nunca é tarde demais para corrigir e melhorar o que notamos errado. Nunca é tarde para compensar enganos. Para compreender e perdoar.
Nunca é tarde demais para nos voltarmos para Deus e lhe aguardar as bênçãos.
Nunca é tarde demais para aprender com a própria vida.

Fonte: biografia de Elizabeth Kübler-Ross - www.momento.com.br

segunda-feira, 25 de abril de 2011

OS CUIDADOS DE DEUS

          A mãe dava as primeiras lições de fé e entendimento a respeito de Deus para a filha, que lhe acompanhava, atentamente, o raciocínio.
Buscando o linguajar infantil, escolhendo as palavras para que lhe fossem compreensíveis, falava a mãe com cuidado e gentileza a respeito de Deus, Criador do Universo. O Pai de todos nós.
Ao ouvir a mãe lhe explicando que Deus é nosso Pai, a menina arregalou os olhos, surpresa. Buscando ter certeza de que havia compreendido, perguntou:
Pai de todo mundo? Pai de cada um de nós?
É isso mesmo. - Respondeu a mãe, contente pelo aprendizado que se fazia.
Então, conclui a criança, deixando a mãe sem resposta, diante da sagacidade da pequena: Ora mãe, se ele é Pai de cada um de nós, como é que Ele cuida de todo mundo?

* * *

A profundidade da reflexão infantil muitas vezes não encontra resposta em nossa mente, quando não nos habituamos a refletir um pouco a respeito das coisas de Deus.
Quantas vezes nos queixamos, a respeito da vida, dos dissabores, das desilusões e desafios, tão pesados para nossos ombros?
Nessas horas nos deixamos levar pelo pensamento pessimista de quem se imagina sozinho no mundo, como se ninguém cuidasse de nós, como se ninguém se importasse conosco.
Esquecemos que aprendemos a chamar Deus de Pai. Esquecemos de que não é o pai figurativo e imaginário, mas sim Aquele que cuida e Se preocupa com cada um de Seus filhos.
Jesus, procurando nos explicar as coisas de Deus, nos leva a raciocinar de forma simples, ao dizer que nem os maus, quando um filho lhes pede pão, são capazes de lhe dar uma serpente e assim, tanto mais se poderá esperar do Pai que está nos Céus.
Com esse raciocínio nos fortalece a fé, nos aconselhando a deixar a cada dia as suas necessidades, não nos preocupando com aquilo que não está ao nosso alcance, pois Deus provê a todas as nossas necessidades.
E, quantas vezes os cuidados de Deus nos chegam através de um amigo, de um conselho certo nas horas da intemperança?
Em outros momentos, são os cuidados de Deus que nos chegam através de um encontro aparentemente fortuito ou de um telefonema inesperado, que nos faz mudar de rumo, nos demove de um propósito infeliz ou renova nossa paisagem íntima.
Mesmo que, muitas das vezes, os desígnios de Deus passem despercebidos por nós e lhes demos o nome de acaso, sorte ou coincidência, sempre estará a Providência Divina a cuidar dos Seus filhos.
Os cuidados de Deus com cada um de nós são tão preciosos que, antes de nascermos, Ele nos designa um Espírito amigo que irá velar por nossa caminhada, nos proteger, ser nosso anjo da guarda.
Irá nos cuidar em nome dEle. Só mesmo um Pai seria capaz de tantos cuidados e desvelos para com um filho.
E, mesmo que nos apresentemos ora rebeldes ou ainda ingratos para com tanto cuidado, Ele será sempre o Pai amoroso a aguardar nosso amadurecimento a fim de que consigamos entender o quanto Ele nos ama.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

JESUS VOLTARÁ... ESTÁS PREPARADO??

Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo. Apocalipse 1:3

sexta-feira, 1 de abril de 2011

SALMOS 34:11-18

Vinde, filhos, ouvi-me; eu vos ensinarei o temor do Senhor.



Quem é o homem que deseja a vida, e quer longos dias para ver o bem?


Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem dolosamente.


Aparta-te do mal, e faze o bem: busca a paz, e segue-a.


Os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu clamor.


A face do Senhor está contra os que fazem o mal, para desarraigar da terra a memória deles.


Os justos clamam, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas angústias.


Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito.