segunda-feira, 29 de agosto de 2011

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

REFLEXÃO

O VALIOSO TEMPO DOS MADUROS

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridade.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçam seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa…
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana;
que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade.
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.
O essencial faz a vida valer à pena e, para mim, basta o essencial!

Mário de Andrade

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

A MORTE DOS BRITÂNICOS JOHN STOTT E AMY WINEHOUSE










Nestes dias morreram John Stott e Amy Winehouse.
Stott morreu aos 90 anos.
Amy morreu aos 27 anos.
Stott morreu de complicações decorrentes da idade.
Amy morreu de “causas desconhecidas”, mas, ao que tudo indica ocasionada por uma overdose.
Stott morreu em casa ouvindo “O Messias” de Handel e cercado por amigos que se revezavam na leitura de textos bíblicos.
Amy morreu em casa. Sozinha.
Stott escreveu dezenas de livros de conteúdo cristão que se tornaram luzeiros para a fé de milhões de cristãos em todo o mundo. Obras como “Crer é também pensar”, “A cruz de Cristo”, "Ouça o Espírito, ouça o Mundo" e diversas outras obras. Ao lado de Billy Graham fundou o Movimento Internacional de Evangelização Mundial Lausanne. Dedicou sua vida ao treinamento e ao ensino de milhões de líderes nas regiões mais carentes de treinamento teológico do mundo, dentre elas, a América latina.
Amy se tornou conhecida por sua melodiosa voz que cantava letras que evocavam tristeza, desespero e solidão. Ela enterrou o seu próprio coração em uma das suas canções.
Stott sempre será lembrado por sua simplicidade, humildade e dedicação em defesa da causa do Evangelho.
Amy sempre será lembrada por suas performances de embriaguez e seus usos de drogas. Por sua aparência cada vez mais frágil diante da luta perdida contra o vício.
Em todo o mundo, apenas os cristãos protestantes lamentaram a morte de Stott. Não foi noticiado por nenhuma grande rede de TV. Nenhum jornal ou revista da chamada “mídia secular” escreveu nem mesmo uma nota sobre a sua morte. Mas, sua vida está escrita na memória e no coração de milhões.
Em todo o mundo, a morte de Amy foi noticiada exaustivamente. TV, rádio, jornais e revistas dedicaram páginas e páginas, horas e horas de cobertura a morte “prematura” daquela jovem "tão promissora" que seguia o exemplo de tantos outros antes dela.
John Stott foi pranteado com esperança por aqueles que eram seus amigos e compartilhavam sua fé em que a morte é apenas o início de uma abundante e plena vida ao lado de Cristo na eternidade.
Amy foi pranteada por milhões de fãs e amigos, conhecidos e desconhecidos, e principalmente, por seu pai e sua mãe, que não cansavam de repetir: “Nos últimos dias, ela estava bem”. Seu pranto era pela perda. E apenas isso. Talvez muitos deles pensem que a morte “é o fim”. Amy agora sabe que não é.
Stott morreu numa casa simples, num acampamento pra idosos, propriedade da denominação Anglicana.
Amy morreu numa bela mansão em um bairro nobre de Londres.


Stott não deve ter deixado muito de herança material. Mas, sua herança espiritual é inestimável.
Amy deixou milhões de dólares, cuja parte o pai reverterá para ajudar no tratamento de pessoas vítimas do álcool e das drogas. Talvez seja uma forma “de dar sentido a tudo isso”.
Stott sempre estava sorrindo.
Amy parecia não ter motivos para ser feliz. Parece que para o mundo, a morte de Stott não fez nenhuma diferença. Mas, é notório que para o mundo, a morte de Amy foi uma perda inestimável.
Stott morreu crendo na suficiência única e exclusiva do sacrifício de Cristo para ofertar graciosamente ao homem a salvação. Amy...não sei no que ela cria. Mas, por sua vida, pode-se afirmar que não havia experimentado uma nova vida em Cristo. Nele há esperança. Nele há alegria. Nele há sentido para quem somos e o que fazemos com nossa existência.
Stott morreu e foi para o céu.

Que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?
Longe de mim esteja gloriar-me a não ser na cruz.


(Recebido por e-mail)

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

SER PAI

Ser pai é ser especial. É, na masculinidade, guardar doçura.
É ser homem e ser afetuoso.
Ser pai é, sendo administrador, administrar tão bem o tempo, que nunca faltem minutos para atender o telefonema do filho, com atenção. Um telefonema que fale do entusiasmo dele por ter conseguido fazer um gol para o seu time, na escola.
Ser pai é não se afogar no mar dos negócios, mesmo que na sua qualidade de executivo, muitas sejam as horas que a profissão lhe exija.
É, sendo lavrador, preparar a terra do coração do filho para receber as sementes do bem, regando-as todos os dias com o seu carinho, demonstrando, na prática, que nenhuma tarefa é mais importante do que a que tenha a ver com os sentimentos das criaturas.
Ser pai é, sendo músico, ter sensibilidade suficiente para colocar, no pentagrama da vida do seu filho, as mais sublimes notas da compreensão, da tolerância e do amor.
Sendo poeta, escrever as mais belas rimas da ternura com os versos simples do companheirismo e da alegria.
Ser pai é, na qualidade de mecânico hábil, estar apto a consertar os estragos que alheias ideias possam estabelecer na estrutura delicada do caráter do seu filho. É saber utilizar com maestria as ferramentas de precisão, aferindo oportunidade e valores para as lições que o conduzirão na vida.
Ser pai é, como escultor habilidoso, esculpir formas mais primorosas no caráter do filho.
Como instrutor, ministrar-lhe as lições da sua experiência pessoal, e falar-lhe das lições imortais da vida maior.
Ser pai é, sendo motorista, não esquecer de que deve dirigir a vida do seu filho para a rota segura do dever, a fim de o transformar em um cidadão honrado e um homem de bem.
Ser pai é, sendo magistrado, saber julgar com imparcialidade as traquinagens do seu rebento, analisando todos os fatos e dispondo-se a ouvir todas as partes envolvidas, a fim de sentenciar com justiça.
Ser pai é, sendo médico, ter a notabilidade de um cirurgião para, no tempo certo, realizar a cirurgia de profundidade, descobrindo nas entranhas do Espírito, as tendências do filho e as trabalhar, burilando-as.
Ser pai é, sendo enfermeiro, não esquecer de colocar curativos nos machucados do joelho, do cotovelo e providenciar medicamento apropriado para coração partido pela dor da primeira desilusão de amor.
Ser pai é, sendo ator, deixar de brilhar tanto nos palcos do mundo para se apresentar à restrita plateia de um garoto que o espera, todos os dias, para assistir a sua encenação da mais bela peça teatral, a da paternidade.
Ser pai é, sendo cantor, modular a voz e criar canções de ninar para embalar o filho cansado das brincadeiras do dia.
Ser pai é, sendo desportista, ter braços rijos para suspender o filho com firmeza, abraçá-lo com vigor e lhe segredar ao coração: Te amo muito.
* * *
Existem homens que almejam missões surpreendentes. Existem outros que sonham com conquistas extraordinárias.
Existem os que planejam ter sobre si os olhos do mundo.
No entanto, a missão mais surpreendente, a conquista mais extraordinária é a da paternidade responsável.
E o olhar mais importante é de um pequeno que espera, ao final do dia, na porta de casa por um abraço cheio de amor e carinho!
Feliz Dia dos Pais, ao meu pai querido que é meu exemplo e alicerce e ao meu esposo que tão bem desempenha seu papel de pai.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

ANGÚSTIA

De repente, vem aquele aperto no peito! Pode ser em qualquer momento, hora ou lugar. Como se alguém ou uma grande mão apertasse o peito...  uma sensação bem esquisita de opressão. Para nós, acadêmicos de psicologia, a angustia é também uma emoção que precede algo (um acontecimento, uma ocasião ou circunstância), também pode-se chegar a angústia através de lembranças traumáticas que dilaceraram ou fragmentaram o  ego. A angústia exerce função crucial na simbolização de perigos reais e imaginários.

Para você, o que é a angustia? Com certeza cada um tem uma resposta pessoal e bem subjetiva. De modo geral, angústia é um sentimento que acompanha o homem desde seu nascimento até a morte em todas as situações da vida. A angústia é uma das mais fortes opressoras da humanidade, é um sentimento da alma que pode atacar na mesma medida tanto o rico como o pobre. O homem natural não pode se desviar nem escapar dela. A angustia, portanto é inata, ou seja, está conosco desde o nascimento.

E a Bíblia, o que ela nos diz a respeito da angústia? E aqui quero abrir um parenteses para contar e compatilhar com vocês a minha alegria, felicidade, realização em estar fazendo psicologia. E esse curso associado com a Palavra de Deus então, é de se maravilhar, porque você percebe o quanto de psicologia a Bíblia nos passa, nos ensina, nos orienta. Claro que seu foco é a salvação do homem, a vida eterna com Cristo, mas percebo também o quanto de crianças, adultos, jovens e casais doentes espiritualmente e psiquicamente há em nossas Igrejas. Um exemplo disso é a angustia que é um problema espiritual associado a futuras patologias.

A Bíblia nos mostra dois lados da angustia: a angústia negativa e a positiva. Vamos aos exemplos:
  •  Angústia e sofrimento podem se tornar visíveis. Um exemplo disso foi quando os irmãos de José chegaram ao Egito para comprar mantimentos e se encontraram, sem saber, com o irmão que haviam vendido anos atrás:  "Na verdade, somos culpados, no tocante a nosso irmão, pois lhe vimos a angústia da alma, quando nos rogava, e não lhe acudimos.. Gênesis 42:21
  • Angústia também provoca trevas. Isaías precisou  anunciar uma punição sobre Israel, e as conseqüências desse juízo : "Bramam contra eles naquele dia, como o bramido do mar; se alguém olhar para a terra, eis que só há trevas e angústia, e a luz se escurece em densas nuvens" Is 5.30. E em Isaías 8.22 o profeta proclama sobre o povo apóstata: "Olharão para a terra, eis aí angústia, escuridão, e sombras de ansiedade, e serão lançados para densas trevas".
Esses são exemplos negativos. Há os exemplos positivos:
  • Davi nos ensina que a palavra de Deus sempre é mais forte que a angústia: "Sobre mim vieram tribulação e angústia, todavia os teus mandamentos são o meu prazer". Sl. 119.143
  • O poder de Deus sempre é maior do que a angústia: "Se ando em meio à tribulação, tu me refazes a vida; estendes a mão contra a ira dos meus inimigos, e a tua destra me salva" Sl 138.7
  • Paulo confirma essa gloriosa verdade: "Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?... Porque eu estou bem certo de que nem morte, nem vida, nem anjos, nem principados, nem cousas do presente, nem do porvir, nem poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor" Rm 8.35;38-39.
Jesus também fala sobre a angústia: "No mundo tereis aflições..." , mas acrescenta o ‘mas’: "mas tende bom ânimo, eu venci o mundo". Jo 16:33

Agora pergunto: quem provou os mais profundos abismos de angústia de todos os tempos? Foi Jesus Cristo. Ele sofreu uma angústia tão grande que não fazemos idéia do que possa ter sido passar e sentir o que Ele passou e sentiu. Quando temos medo, quando não sabemos mais o que fazer, quando achamos que não haverá mais solução, nem saída para nossas angustias e problemas, podemos olhar para Jesus e nos lembrar de que Sua tribulação ainda foi  maior, muito maior e terrivelmente insuportável. Sua angustia, dor, tristeza, foram tão grandes, que seu suor transformou-se em grandes gotas de sangue. Do sentimento angustiante do Senhor, tiramos lições importantes para os nossos dias.
Ele, em sua angustia e tristeza, orava. Então o que devemos fazer? Simples: orar, suplicar, pedir e depositar nossa confiança nAquele que já passou tudo isso por nós. Estamos livres de tristezas, tribulações, angustias? Não, mas Cristo já sofreu tudo isso por nós e deixou claro o que devemos fazer: entregar a Ele toda nossa tristeza, angustia e sofrimentos. Em outras palavras: tendo sofrido e vencido e triunfado no Getsêmani, Ele também pode nos ajudar em nossos medos e angústias, e nos ajudar a vencê-los. Ele quer nos ensinar a orar com justamente nesses momentos. Ele próprio não viu outra maneira para sair da Sua angústia do que por meio das súplicas. Imaginem nós? Muito mais, devemos suplicar ao Senhor para que nos tire de nossas angustias e medos que nos surpreendem diariamente. Tiago acentua muito esse aspecto quando diz: "Está alguém entre vós sofrendo? Faça oração. Está alguém alegre? Cante louvores"  Tg 5.13.
O cristão pode sofrer angústias, mas pela graça de Cristo, temos o remédio para não vivermos angustiados, que é a oração. Sente-se angustiado? Fale com o Pai Celestial! A oração enche de paz nosso coração! Quando oramos, ficamos esclarecidos da vontade do Pai, e entendemos que Ele está no controle de todas as coisas. Você não quer se tornar uma pessoa assim, que aprende a lidar com as suas angústias e vencê-las? Então comece a levar uma vida de oração e confiança no Deus Todo Poderoso, pois assim nos tornamos cristãos que ainda sente angustias, medos, tristezas, enfim, todos os apertos e tribulações desse mundo, mas apesar disso, temos tranquilidade para enfrentarmos tudo isso pois estamos seguros nos cuidados do Senhor. Troque a angústia pela oração.
Que Deus abençoe a todos!

terça-feira, 9 de agosto de 2011